curiosidades

1- Você sabia que existem pelo menos 6 trilhas que chegam à cidade de Machu Picchu?

 

Ao contrário do que geralmente se pensa, a famosa "Trilha Inca" não é a única opção de caminhada até a lendária Machu Picchu. Nós mesmos, como já dissemos, usamos sempre a Trilha de Salkantay para chegarmos até lá.

Além dela, existem pelo menos 5 outros caminhos escondidos pela Cordilheira dos Andes que tem como destino a tão propagada cidadela Inca. Além de que, alguns pesquisadores informam a existência de outras 9 opções! Ou seja, a cidade de Machu Picchu, como se vê, estava amplamente ligada ao Tahuantinsuyo (o Império Inca), motivo pelo qual nós, do Projeto INTI, não levamos em consideração o termo "Cidade Perdida dos Incas".

 

Importante dizer que apenas 2 ou 3 desses caminhos são abertos ao público. O restante deles, apenas com autorização do governo peruano. Dos percursos disponíveis aos viajantes, sugerimos sempre o mais bonito deles, que pode ser feito em 5dias/4 noites de caminhada: a Trilha de Salkantay.

2- A altitude mexe demais com nosso organismo. Os sintomas podem variar de pessoa prá pessoa, e vão desde uma leve dor de cabeça à crises terríveis de vômito. Há medicamentos indicados nas farmácias, e geralmente, o mal estar passa em 1 ou 2 dias.

Como Cusco está à 3400 msnm (alto demais para os padrões brasileiros), o ideal é que, ao desembarcar na cidade, faça-se o mínimo de esforço possível, tome muita água (sempre as de garrafa lacrada), e fartas doses de chá de coca, oferecido em qualquer estabelecimento do local. Apesar da vontade de sair explorando cada detalhe da cidade (que é linda e aconchegante!), a recomendação é que no primeiro dia seja evitada qualquer caminhada.

3- A palavra de ordem é "pechinchar". Nunca compre nada pelo primeiro preço informado. Nunca! Exerça seu poder de negociação. Não é raro um produto sair por bem menos da metade do primeiro valor!

4- Numa viagem como a nossa, anda-se muito! Um bom calçado, leve e já amaciado, é fundamental! Esqueça tênis novos ou calçados de couro, ainda rígidos. Opte sempre por botas de caminhada já bastante desgastadas. A chance de desenvolver bolhas nos pés será menor.

 

A propósito, aqueles que tiverem problemas com bolhas, a dica é levar esparadrapo e cobrir as regiões mais suscetíveis logo pela manhã, antes de sair do hotel.

5- Diante da experiência que temos acumulado em nossas viagens a região de Cusco e Machu Picchu, nos sentimos no dever de passar uma dica (ou um conselho, caso prefiram vê-lo assim) àqueles que sonham em conhecer as regiões aqui abordadas.

 

O turismo desenfreado, muitas vezes irregular, mal planejado... estabelecido em boa parte do Peru, infelizmente está colocando a perder uma coisa fundamental nesse tipo de viagem: o fascínio. o êxtase... aquela inesquecível sensação de descoberta... que antes tínhamos ao chegar à cada sítio arqueológico e hoje, dado uma porção de fatores e à crescente onda de turismo, não existe mais.

Tentaremos abordar esse assunto numa outra oportunidade, talvez de uma outra forma, mas aqui, a dica que damos àqueles que pretendem viajar a todos esses lugares é, de forma clara e bastante objetiva: apressa-te! Vá o quanto antes! Assim que possível! Não demore.

PÁGINA EM CONSTRUÇÃO

ELES VIAJARAM CONOSCO

 "Sonho realizado de conhecer Machu Picchu em sua grandiosidade e beleza nas montanhas andinas peruanas. Gratidão!"

Cleuza Gonçalves - Valinhos/SP 

 "Uma super aventura!

Parece que revivemos a História!

As explicações ajudam a entender cada lugar visitado!

Para a trilha, é necessário estar bem preparado (mas quem não estiver, sempre tem o plano B)!

Recomendo a viagem. Quero fazê-la de novo".

Lucas Ribeiro - Limeira/SP 

Mostrar Mais

“Encantada até hoje com tudo o que vi... e senti! Cusco é linda demais!!”

Luiza Menezes - Campinas/SP

"Há anos acompanhava os trabalhos do Projeto INTI, até que decidi viajar com eles.

Conhecer Machu Picchu através da ótica científica (e não da esotérica, como se faz por aí), foi um achado!"

Murilo Santana - São Paulo/SP

“Um sonho realizado!

Conheci Machu Picchu e fiz amigos prá toda vida.”

Flávio Marques - Piracicaba/SP

Contato

Whatsapp / Telegram: 19-98920.6147

E-mail: projetointi@gmail.com

Redes Sociais

Copyright © 2020 Projeto INTI - Turismo Cultural e de Autoconhecimento

Todos os direitos reservados